Mulher com HPV

Como saber se a sua parceira tem HPV? Quais são os sintomas do HPV nas mulheres? As mulheres podem transmitir o HPV para os homens?

Bom, vamos aos números. Uma em cada quatro brasileiras está contaminada pelo HPV, segundo o Hospital do Câncer de São Paulo. O papilomavírus, o vírus do HPV, é causador de 95% dos casos de câncer de colo de útero. O HPV é a DST mais presente nas estatísticas brasileiras, de acordo com dados do Congresso Brasileiro de Infectologia. Por isso, é tão importante o uso de preservativos nas relações íntimas.

HPV na mulher: sintomas

Além da transmissão por meio das relações íntimas, o HPV também pode ser passado por roupas íntimas, instrumentos clínicos mal esterilizados e contato com a pele. O diagnóstico da doença pode ser difícil, pois muitas vezes ela permanece silenciosa no organismo, sem apresentar sintomas visíveis por um bom tempo.

Mulher com HPV

Mulher e HPV: quais são os sintomas e o tratamento?

Para as mulheres, existem alguns exames específicos para procurar o vírus. A colposcopia, a vulvoscopia, a anuscopia e o papanicolau ajudam a decifrar de a mulher de fato está contaminada pelo HPV.

O tratamento é feito de acordo com o histórico da paciente, idade e evolução da doença, além da presença ou não do condiloma acuminado, as famosas verrugas do HPV. Se a mulher estiver grávida, os tratamentos serão diferentes. Durante o tratamento, as relações íntimas estão proibidas, pois é importante que o tratamento seja feito corretamente até o fim para que tenha sucesso na cura.

Apesar de existirem centenas de tipos do vírus HPV, a maioria das infecções é ocasionada por apenas quatro deles: 16 e 18, que são responsáveis por 70% dos casos de câncer de colo de útero, e 6 e 11, que causam 90% das verrugas íntimas.

HPV na mulher: tratamento

O primeiro passo importantíssimo para tentar evitar o contágio é o uso de preservativo. Porém, ainda assim o preservativo não protege em 100% dos casos, pois a transmissão é feita pelo contato da pele. Ou seja, a parte que a camisinha não cobre, pode transmitir ou contrair o HPV. Por isso são tão importantes e necessários para as mulheres os exames de rotinas em ginecologistas.

Existem várias formas de tratar o HPV nas mulheres. A maioria delas tem como principal objetivo destruir o tecido doente e isso pode ser feito das seguintes formas:

Criocirurgia, que congela e destrói o tecido anormal; laser, que corta ou destrói as lesões;  CAF – Cirurgia de alta frequência, que remove e cauteriza a lesão; ATA – Ácido Tricloroacético, que é um ácido aplicado pelo médico diretamente nas lesões; Conização, em que um pedaço de tecido em forma de cone é retirado com o auxílio do bisturi, do laser ou do CAF. O tratamento com medicamentos é feito não só para que as lesões sumam mas também para melhorar o sistema de defesa do organismo.

Se perceber que sua parceira está com alguma lesão, leve-a ao ginecologista para que o tratamento seja feito o mais rápido possível.

5 comentários
  1. Posted by DANIEL
  2. Posted by stephany
  3. Posted by Daniel
  4. Posted by gentil raimundo c junior
  5. Posted by renata

Deixe um comentário