Síndrome do Ovário Policístico

A Síndrome do Ovário Policístico, também conhecida por Síndrome de Stein-Leventhal ou doença polifolicular ovariana, atinge uma a cada cinco mulheres em idade fértil. É uma disfunção hormonal muito comum na população feminina, e que apesar de ser frequente, deve receber atenção especial e tratamento adequado.

O que é ovário policístico?

Nem todas as mulheres que têm cistos no ovário sofrem da síndrome do ovário policístico. Para que seja caracterizada a presença da síndrome, alguns sintomas devem estar presentes, isoladamente ou em conjunto. Os cistos de ovário próprios da síndrome de ovários policísticos não tem causas exatamente definidas. As mulheres geralmente são diagnosticadas com essa disfunção entre os 20 e 30 anos, mas a síndrome de ovário policístico também tem atingido cada vez mais as adolescentes, e nisso a genética pesa: quem tem ovário policístico frequentemente têm uma mãe ou irmã que têm ou tiveram sintomas semelhantes.

Síndrome do Ovário Policístico

Entenda a síndrome do ovário policístico

Importante não confundir o cisto no ovário com a síndrome do ovário policístico. O cisto se armazena no ovário quando o folículo ovariano não atinge o estágio em que arrebenta e expele o óvulo para que haja a ovulação. Em alguns casos, ele regride sozinho.

Ovário policístico sintomas

Quais são os principais sintomas da síndrome do ovário policístico?

- Menstruação irregular: as alterações no ciclo menstrual são os principais sintomas, e podem ocorrer atrasos ou mesmo ausência do sangramento mensal em mulheres portadoras da síndrome.

- Dificuldade na ovulação: os problemas ovulatórios comuns nas portadoras da síndrome podem dificultar e até impedir a gravidez. Porém, com tratamento adequado e acompanhamento correto, as mulheres que possuem ovário policístico conseguem engravidar.

- Acne, espinhas, queda e rareamento de cabelos similar á calvície masculina, pele oleosa e aumento de pelos no corpo

- Aumento de peso

Ovário policístico e gravidez

Se não tratada adequadamente, a Síndrome do Ovário Policístico pode levar à infertilidade. O tratamento precoce da síndrome ovariana policística pode ajudar a prevenir a infertilidade e até mesmo aumentar a chance de se ter uma gestação saudável e sem intercorrências. Por isso, ao sinal de algum dos sintomas, é importante procurar o médico o quanto antes.

Tratamento para ovário policístico

E qual é o tratamento para ovário policístico? O tratamento vai ser determinado pelo seu médico, que avaliará os sintomas, o tempo da síndrome, entre outros fatores.

Normalmente, é prescrito o uso de pílulas anticoncepcionais ou comprimidos de progesterona, para regularizar os ciclos menstruais; a metformina, um medicamento que aumenta a sensibilidade do corpo à insulina, diminuindo sua resistência à substância e melhorando os sintomas, além de colaborar com a perda de peso. Aliás, a perda de peso, mesmo que mínima, pode colaborar com o alívio e até mesmo com o desaparecimento dos sintomas.

Síndrome do Ovário Policístico

Aspecto do ovário com microcistos

Medicamentos antiandrógenos (que controlam o nível de hormônios masculinos) também são utilizados quando o tratamento com as pílulas não tem resposta. A laparoscopia pélvica também é utilizada, mas tem efeitos de curta duração.

Exercícios físicos regulares e alimentação equilibrada também colaboram para a melhora do quadro geral.

Ovário policístico tem cura?

Se não tratado adequadamente, o ovário policístico pode oferecer maior risco de câncer de endométrio, de infertilidade, de câncer de mama e outras complicações.
Apenas o médico pode dizer quanto tempo durará o seu tratamento. Algumas mulheres precisam fazer acompanhamento e tratar-se dos sintomas da SOP pelo resto da vida, outras não, portanto somente seu ginecologista pode determinar se no seu caso o ovário policístico tem cura.

4 comentários
  1. Posted by ester
  2. Posted by cintia
  3. Posted by vanessa de souza
  4. Posted by ana beatriz

Deixe um comentário