Anticoncepcional de farinha...

Anticoncepcionais feitos de farinha foram produzidos apenas para testar uma maquina embaladora do laboratório Schering do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Só que, não se sabe como, as pílulas falsas foram para em farmácias para serem comercializadas.

Resulado: o Laboratório vai pagar indenização no valor de R$ 70 mil, por danos morais, a uma consumidora que engravidou utilizando o Microvlar - marca do anticoncepcional de farinha.

Segundo o STJ, a Terceira Turma não atendeu ao recurso da empresa e manteve a decisão de segunda instância que responsabilizou a empresa pela gravidez.